Revendedores ganham dinheiro com cada carro que vendem.

Mas, muitas vezes, esse lucro vem do fabricante, não do cliente.

Quando uma compradora de automóveis se encontra em uma concessionária, ela deve se
lembrar que o preço de etiqueta do carro é apenas um ponto de partida e o preço que ela
deve pagar por um carro novo deve negociar a partir daí.
Isso porque existem incentivos em ação que o consumidor nunca vê. “Retenção do
concessionário” é o dinheiro que é dado ao concessionário pelo fabricante quando o carro é
vendido. Geralmente, isso não passa de três por cento, mas coloca dinheiro no bolso da
concessionária.
Depois, há uma coisa chamada “dinheiro do revendedor” que é usado pelo fabricante para dar
ao revendedor uma razão para garantir que cada carro saia do lote. Os incentivos em dinheiro
do revendedor geralmente estão vinculados a modelos específicos, algo que você pode ver
quando for olhar um modelo, mas ouvir muito sobre outro modelo.
E, há a prática de “incentivos em degraus”, em que o fabricante paga à concessionária pelo
número total de carros vendidos em um determinado período e normalmente isso vai
aumentando ao longo do ano. Portanto, embora a concessionária possa ganhar uma única
quantia pelo número de carros vendidos em um determinado mês, essa quantia pode
aumentar para um número maior de vendidos naquele trimestre e um número ainda maior de
vendidos no ano.
Agora você pode ver por que as negociações de fim de mês e fim de ano podem ser tão
atraentes. https://www.bariguiseminovos.com.br/blumenau